Destinos América do Sul Argentina Salta

Salta, la linda

TextoFotosAna Isabel Mineiro30/05/2008
Salta

Rodeada por uma espécie de savana austral muito verde, Salta é uma excelente surpresa para quem viaja no Norte da Argentina. Relato de uma curta viagem à tregião de Salta.

A caminho de Salta

A viagem entre Iguazú e Salta fez-me atravessar durante horas sem fim uma paisagem verde e encharcada, onde a chuva parecia não ter fim.

Salta, Norte da Argentina

Salta, Norte da Argentina

Da terra vermelha do Chaco, região tropical por onde correm rios importantes como o Paraguai e o Paraná, fomos entrando progressivamente em solo de aspecto mais seco, onde a chuva parecia perder-se em ameaçadoras nuvens longínquas, para só cair ocasionalmente.

Ainda assim, a região de Salta consegue combinar zonas andinas áridas com vales férteis e verdes. Os índios Diaguita-Calchaquies viviam nestes vales, e renderam-se à influência inca bem antes da conquista espanhola.

Apesar da sua mais famosa atracção turística, o Tren a las Nubes (Comboio das Nuvens), continuar desactivado, a cidade era a entrada perfeita na “civilização urbana”: longe de ser uma selva de cimento, possui todas as distracções e confortos necessários - e ainda alguns extras como parques e jardins, um teleférico panorâmico, supermercados bem abastecidos e com comida pronta, um Mercado Municipal cheio de animação e artesanato local.

As ruas são divididas em quarteirões do mesmo tamanho, de tal maneira que alguém habituado às excitantes ruas portuguesas que sobem, descem, estreitam e alargam, se perde em menos de dois minutos. As construções mais altas parecem ser as torres dos campanários das igrejas, pintadas de branco e tons creme que lembram suspiros e gelados - com a escandalosa excepção da Igreja de S. Francisco, cor de tijolo com colunas brancas e rebordos amarelo-dourado.

Humitas, especialidade salteña de milho e queijo

Humitas, especialidade salteña de milho e queijo

É esta elegância colonial que atrai os turistas, sobretudo nacionais, que procuram conhecer este recanto do país. Em volta do jardim da Praça 9 de Julho, que marca o centro, perfilam-se uma Câmara Municipal do século XVIII, a catedral e o edifício do museu de Arqueologia de Alta Montanha, onde uma importante colecção - que inclui os corpos com mais de quinhentos anos de três crianças incas encontradas no cimo do vulcão Llullaillac - nos situa nesta civilização, de cujo império esta zona chegou a fazer parte.

Nas ruas de peões desenrola-se uma actividade intensa, muito mais actual, com lojas de tudo que transbordam para a rua, vendedores de fruta, jornais e pipocas.

Muitos rostos espelham a altitude e a proximidade dos Andes, mas o tipo de vida é indubitavelmente argentino, ou seja, latino: a importância dada ao visual, o gosto pelo convívio fora de portas em esplanadas que enchem, cafés ruidosos; uma humana confusão de gente afável e comunicativa, sobretudo para com os estrangeiros.

Vista de uma rua de Salta

Vista de uma rua de Salta

No mercado descobrimos o sabor das humitas, embrulhos de folhelho de milho com recheio do mesmo e de queijo, que aqui é delicioso.

Pirâmides de misturas de especiarias, especialmente concebidas para incrementar o sabor da parrilhada, o prato de carne assada na brasa que é uma espécie de religião nacional, perfumam o ar.

Turistas e nacionais procuram também o famoso chá-mate e os respectivos copos típicos onde este é consumido através de uma bombilla, um filtro metálico espetado no líquido que impede que se ingira as folhas ao beber o chá.

Apesar do tráfego intenso nas horas de ponta, sabe bem andar a pé ou de bicicleta, descobrindo com vagar pequenos restaurantes em antigas casas coloniais, ruas adornadas de jacarandás e buganvílias gigantescas, passeando no Parque San Martin ou na bela zona de San Lorenzo, onde um arvoredo cerrado esconde mansões e um parque nos deixa entrever a beleza dos bosques que rodeiam a cidade.

Conhecida por la Linda, Salta faz jus ao título com uma combinação de capital colonial de província e um enquadramento natural invejável.



Convento de S. Bernardo, em Salta

Convento de S. Bernardo, em Salta

Igreja de S. Francisco em Salta

Igreja de S. Francisco em Salta

Guia de viagens a Salta

Este é um guia prático para viagens a Salta, com informações sobre a melhor época para visitar, como chegar, pontos turísticos, os melhores hotéis e sugestões de atividades no região norte da Argentina.

Quando ir

Quando viajar para Salta

Todo o ano, sabendo que o verão europeu corresponde ao inverno na América do Sul, com frio e céus geralmente limpos, enquanto o inverno corresponde a um verão quente mas geralmente chuvoso.

Como chegar

Como chegar a Salta

Voar com a TAP para Buenos Aires, via Brasil, e em combinação com a Varig e a TAM, ronda os 1.030 euros. Daí pode voar para Salta ou, melhor ainda, viajar de autocarro; são cerca de 20 horas mas, apesar do número ser assustador, a verdade é que optando por um bus-cama nocturno nem se chega cansado: os transportes na Argentina são de excelente qualidade. De Cafayate também não faltam autocarros (vários por dia, dependendo da altura do ano) para percorrer os 183 quilómetros até Salta.

Pesquisar voos

Onde ficar

Onde ficar

Em Salta, a Posada del Sol fica na rua Alvarado, nº 646, a um quarteirão da Praça 9 de Julho e os quartos duplos rondam os 45 €; o Hotel Munay fica na rua San Martin, nº 656, muito próximo do mercado municipal e ruas de peões, e os preços rondam os 30 €. Opções de hotéis mais baratos e muito interessantes são as pousadas Backpackers, uma na rua Buenos Aires e outra na S. Juan, que oferecem dormitórios ou duplos por cerca de 6 € a 20 €, respectivamente.

Pesquisar hotéis em Salta

Onde comer

Restaurantes

Para além da típica comida argentina, da parrilhada (carnes na brasa) às massas caseiras ao estilo italiano, Salta também é conhecida pelas suas humitas de milho e queijo e pelas empanadas com recheio de carne picante. El Solar del Convento, na rua Caseros 444, perto da Praça 9 de Julho, tem pratos locais, assim como o Doña Salta, na rua Córdoba 46. Para provar humitas, o melhor lugar é o Mercado Municipal. Para os vegetarianos, existe o Bio's Diet, na rua Santiago del Estero 496.

Informações úteis

Informações úteis

Salta tem cerca de 464.000 habitantes e situa-se no Noroeste da Argentina, no Vale de Lerma, a quase 1.200 metros de altitude. Fica apenas a menos de 400 quilómetros da fronteira boliviana de Villazón, pelo magnífico desfiladeiro de Humahuaca. Não necessita de visto - apenas de um passaporte válido.

Leve pouco dinheiro consigo, apenas o suficiente para um percalço: em Salta há vários ATM dentro dos bancos, junto à Praça 9 de Julho, e também uma casa de Câmbios e vários cambistas de rua que podem ajudar-nos num aperto. Em Cafayate também há ATM. Um euro vale cerca de 5 pesos argentinos.

Icon seguro de viagem

Seguro de viagem

O seguro de viagem da World Nomads oferece uma das mais completa e confiáveis apólices de seguro do mercado. São os seguros recomendados por entidades prestigiadas como a Lonely Planet, Footprint, Hostelworld e National Geographic.

Comprar seguro de viagem

Informações úteis na internet

Na Internet

Para obter detalhes específicos sobre os melhores destinos do norte da Argentina, visite o site oficial do Turismo da Argentina. Obtem informações sobre o Trem a las Nubes em www.trenalasnubes.com.ar.