Destinos Europa Letónia Riga

Riga, cidade em movimento

TextoFotosAna Isabel Mineiro11/09/2009

Capital de um pequeno país do Norte da Europa, Riga é provavelmente a mais cosmopolita cidade dos estados bálticos. E as suas ruas são o reflexo da Letónia: uma bela combinação de natureza, história e modernidade. Relato de uma bela viagem a Riga, coração da Letónia.

Riga, a surpreendente capital letã

Riga é uma cidade onde se encontram a natureza e a cultura. Não é pouco, dizer isto de uma cidade moderna que já existe há muitos séculos. Começou por ser uma pequena aldeia livónia onde paravam comerciantes escandinavos e russos, até os alemães estabelecerem aqui um forte dos Cavaleiros Teutónicos; a partir do século XIII, Riga ficou então sob domínio alemão - e ainda hoje as suas armas exibem as chaves de Bremen e as torres de Hamburgo.

Durante o século XVI, a história diz-nos que pertenceu ao reino da Polónia e Lituânia, e nos séculos XVIII e XIX a Rússia passa a controlar toda a região. A Letónia foi independente entre 1918 e 1940, mas a verdadeira e definitiva independência só chegou em 1991, depois de décadas de revolta.

Riga

Riga

O que hoje encontramos é uma cidade viva e activa, com uma dose de natureza invejável dentro de portas. Para bem apreciar o seu recorte urbano deve subir-se à igreja de S. Pedro, que faz parte de um conjunto de torres aguçadíssimas, principal característica da sua silhueta.

A arquitectura oferece uma interessante variedade de estilos e épocas, do medieval ao gótico e ao art nouveau, passando pelos prédios cinzentos estilo “feio-mas-barato” do tempo da ocupação russa, que pouco a pouco vão desaparecendo.

Junto às águas escuras do rio Daugava abre-se o centro histórico, com as suas ruelas empedradas e estreitas. Maza Pils iela é uma das mais típicas e bem restauradas, com casinhas pequenas de cores agradáveis e beirais recortados em escada; uma delas, o número 17, é considerada a mais antiga de todo o país.

A catedral do século XIII, recheada de pedras tumulares cobertas de símbolos, fica numa praça bem animada por turistas e outros “flanneurs”. A redonda e sólida Torre da Pólvora data do séc. XIV e fica perto do arco de pedra da Porta Sueca, no que resta das antigas muralhas.

Nas ruas mais animadas, como a Meistaru iela, tanto podemos encontrar velhinhas de lenço na cabeça com ar de babushkas russas, como jovens rappers e roqueiros, coleccionadores de piercings. Esta sempre foi a mais ocidentalizada cidade do império russo, e hoje é a maior dos estados bálticos e também a mais cosmopolita, já que mais de metade dos seus habitantes são de origem russa, pertencendo os restantes à maioria letã e a outras etnias presentes no país.

Os bares, restaurantes e “kafejnicas” espalham-se sobretudo pela parte antiga da cidade, mais procurada pelos turistas. Ao primeiro raio de sol estendem-se as esplanadas nas praças principais e jorra a cerveja, para aproveitar o tempo que se pode passar ao ar livre - coisa que os letões adoram e a cidade reflecte: metade da sua área é ocupada por zonas verdes, sejam elas parques, jardins, rios ou lagos, à imagem do resto do país, onde a floresta ainda cobre cerca de 40% do território.

Riga

Riga

Junto à catedral ortodoxa russa começa uma zona mais moderna e comercial, sem que deixe de se ver árvores e jardins com flores, lagos e eventualmente um canal ou o próprio rio que atravessa a cidade. A natureza está estreitamente associada à cultura, como é costume entre os países do Norte da Europa, que a respeitam e festejam com comemorações por vezes de tradição pré-cristã.

Nota-se o cuidado com que se trata os canteiros, a profusão de vasos de flores garridas que decoram parapeitos, chamando a Primavera. E para vencer os Invernos recorre-se também às cores das casas, que percorrem toda a paleta de Outono, dos amarelos aos laranjas.

Recreando o ambiente agrícola arcaico de séculos anteriores com todo o tipo de construções típicas, dos moinhos de vento às igrejas, o Museu Etnográfico Letão fica nos arredores da cidade, nas margens do lago Jugla.

Mais urbana, a Casa da Ópera foi o primeiro edifício a receber obras de recuperação depois da partida dos russos, facto que só por si mostra a importância dada à cultura: concertos, ballet, festivais de música, canto e dança sucedem-se em Riga, que funciona como o verdadeiro motor de um país predominantemente rural.



Riga

Riga

Riga, Letónia

Riga, Letónia

Guia de viagens a Riga

Este é um guia prático para viagens a Riga, com informações sobre a melhor época para visitar, como chegar, pontos turísticos, os melhores hotéis e sugestões de actividades na capital da Letónia.

Rua de Riga Geografia

Geografia

A Letónia situa-se entre a Lituânia (a Sul) e a Estónia (a Norte), confinando com a Rússia e a Bielorrússia a Leste e o Mar Báltico a Oeste. A costa é pantanosa e com dunas, contando também com alguns portos importantes. Mais de 40% do país ainda está coberto por floresta. Dos seus menos de três milhões de habitantes, 60% são de etnia letã e os restantes 40% de diversas outras, com destaque para os 26% de russos.

Quando ir

Quando ir

A melhor época para visitar Riga será entre Maio e Setembro, embora se deva contar com chuvadas durante o Verão. O Inverno, que é longo e com pouca luz, traz temperaturas muito baixas, neve e gelo.

Como chegar

Como chegar a Riga

Dado que não há voos directos desde Portugal, o melhor será socorrer-se de uma companhia low cost e apanhar voo para Riga de uma das cidades que os têm com mais frequência, como Bruxelas ou Munique. A Easyjet e a Ryanair, por exemplo, oferecem voos para estas cidades, de onde saem voos da Brussels Airlines, Baltic Air e outras, que fazem ligação com Riga. Do aeroporto de Riga, no autocarro número 22 são quinze minutos até ao centro da cidade.

Pesquisar voos

Onde ficar

Onde ficar

As possibilidades de alojamento começam nos hotéis de cinco estrelas e acabam no campismo. Num dois estrelas como o Hotel Valdemara, por exemplo, num belo edifício Art Nouveau da rua Valdemars 23, um duplo fica por cerca de 120 euros. Já alguns hostels na cidade antiga são igualmente convenientes e muito mais baratas. O novo Ala Hostel, na rua Aujudeu 11, é um dos melhores; um duplo fica por cerca de 30 euros.

Pesquisar hotéis em Riga

Restaurantes

Restaurantes

Em Riga, como em qualquer outra capital, há restaurantes dos quatro cantos do planeta, de sushi a comida russa, de indiano a israelita. Da comida local, podemos dizer que não ficará na história mas tem alguns exemplos agradáveis, como os famosos piragi, pastéis de carne que, aliás, podemos encontrar em toda região e não só na Letónia. As carnes mais populares são a de vaca e de porco, abundam as couves e os acompanhamentos de batata e, felizmente, também as saladas. Para experimentar a comida típica letã, experimente um buffet onde pode apontar o que quer comer, e onde os preços são muito acessíveis: o Alu Seta, na rua Tirgonu 6. Para comida internacional pode experimentar o belo Restaurante Bergs, ao pé do hotel com o mesmo nome, na rua Elizabetes 83/85.

Informações úteis

Informações úteis

Não é preciso visto para entrar na Letónia, que pertence ao espaço Schengen. O país entrou na União Europeia em 2004. Existem ATM nos bancos das cidades mais importantes, como em Riga. A língua local é o letão, mas encontra-se facilmente quem fale um pouco de inglês e mesmo algum alemão. Existem postos de turismo no aeroporto, estação de comboios e terminal internacional de autocarros, assim como na Praça da Câmara.

Icon seguro de viagem

Seguro de viagem

O seguro de viagem da World Nomads oferece uma das mais completa e confiáveis apólices de seguro do mercado. São os seguros recomendados por entidades prestigiadas como a Lonely Planet, Footprint, Hostelworld e National Geographic.

Comprar seguro de viagem